quinta-feira, 14 de novembro de 2013

DEPOIMENTO




O blog Onconews-aju trata-se de um espaço democrático para falar sobre oncologia. Assim, disponibilizo nesse espaço informações sobre tratamentos, novidades, direitos do paciente e também deixo o espaço aberto para relatos dos pacientes. Esses relatos têm por objetivo servir de inspiração para aqueles que estão iniciando a sua luta contra o câncer e para seus familiares.
Dra. Tathiane Oliveira

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Como tratar infecções que causam câncer

Fonte: Estadão

Cientistas tentam criar vacinas para prevenir surgimento da doença.

A matéria publicada no dia 06 de dezembro no jornal Estadão discuti formas de prevenção do câncer através de medidas simples como a prevenção de infecções.
No texto ele comenta sobre a alta incidência de infecções na África e a sua associação com altos índices de câncer. O autor traça um paralelo entre a evolução da infecção pelo Epstein Barr (vírus causador da mononucleose) e o desenvolvimento de Linfoma de Burkitt e por fim comenta:
"...muitas infecções podem levar à aparição de um câncer, entre elas:
A bactéria H. pylori, que causa úlceras e pode levar a um câncer no estômago; O parasita responsável pela doença tropical esquistossomose pode causar o câncer de bexiga; O câncer cervical (no útero) pode ser causado pelo vírus do papiloma humano (HPV); O câncer no fígado pode ser causado pelo vírus da hepatite B; O sarcoma de Kaposi, um tumor cancerígeno que atinge o sistema conjuntivo, é causado por um vírus que ataca as pessoas com sistemas imunológicos fracos Em Uganda, país que abriga um alto número de pessoas HIV positivo, o sarcoma de Kaposi cresce em proporções endêmicas...
Mas a novidade é que essa ligação pode ser interrompida. "Se você sabe que uma infecção é a causa do câncer, se você ataca essa infecção, pode-se na verdade prevenir a ocorrência do câncer", diz a médica.
É isto que já está acontecendo com a vacina de HPV e de hepatite B. Na China, por exemplo, o câncer de fígado era o tipo que mais matava, mas desde que uma intensa campanha de vacinação contra a hepatite B teve início nos anos 1990, a incidência da doença começou a diminuir."
A cultura de tratar a doença ainda é muito forte no Brasil. Ainda não adotamos a política da prevenção como medida de saúde. Saneamento básico, exames de rotina, exercícios físicos, alimentação saudável e vacinação são atitudes simples e baratas que pode nos poupar um transtorno físico, social e emocional do tratamento de determinadas doenças. 


quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Substância de frutas e vegetais pode reduzir risco de câncer de mama

"Especula-se que os carotenoides podem ter efeitos anticâncer porque alfa-caroteno, beta-caroteno e beta-criptoxantina, em particular, são metabolizados e transformados em vitamina A, que regula o crescimento, o desenvolvimento e a morte das células
Carotenoides encontrados em frutas e vegetais podem reduzir risco de câncer de mama. Essa é a conclusão de uma revisão de oito estudos, realizada pelo Hospital Brigham & Women e pela Escola de Medicina de Harvard, ambos nos Estados Unidos. Os dados são do jornal Huffington Post..."

Fonte: Terra
 

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Comissão aprova cobertura de convênios para remédios contra câncer usados em casa

30/11/2012
imagem transparente

 
A Comissão de Defesa do Consumidor aprovou, na quarta-feira (28), o Projeto de Lei 3998/12, do Senado, que obriga os planos privados de saúde a cobrir tratamentos com medicamentos de uso oral domiciliar contra o câncer, incluindo remédios para o controle de efeitos adversos relacionados ao tratamento.
A proposta também inclui a cobertura de procedimentos radioterápicos para tratamento de câncer e hemoterapia, desde que estejam relacionados à continuidade da assistência prestada por meio de internação hospitalar.
A autora do texto, senadora Ana Amélia (PP-RS), afirmou que cerca de 40% dos tratamentos oncológicos empregam medicamentos de uso domiciliar, em substituição ao regime de internação hospitalar ou ambulatorial, o que justificaria a mudança na Lei dos Planos de Saúde (9.656/98). Segundo ela, daqui a 15 anos, 80% dos tratamentos oncológicos serão feitos na casa do paciente, com medicamentos de uso oral.
O relator, deputado Reguffe (PDT-DF), disse que o Sistema Único de Saúde (SUS) poderá economizar R$ 175 milhões com a aprovação do projeto, uma vez que os usuários dos planos de saúde acabam recorrendo à rede pública. A proposta foi aprovada com uma emenda de redação do relator.
Tramitação
O projeto, que tramita em caráter conclusivo, ainda será analisado pelas comissões de Seguridade Social e Família; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.


Fonte: Agência Câmara de Notícias

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Estudo associa HPV a câncer de garganta

Estudo associa HPV a câncer de garganta

Vírus sexualmente transmissível pode estar relacionado ao tumor de laringe

03 de dezembro de 2012 | 10h 34
FONTE: ESTADÃO

Uma infecção transmitida sexualmente e geralmente associada ao câncer de colo do útero também está relacionada a um risco quintuplicado de câncer no aparelho vocal, segundo um estudo publicado na revista Journal of Infectious Diseases.
Pesquisadores chineses combinaram os resultados de 55 estudos das últimas duas décadas, e descobriram que 28% das pessoas com câncer de laringe tinham tecidos tumorais com resultados positivos para o vírus do papiloma humano (HPV). Mas esse índice variou amplamente de estudo para estudo - desde a ausência do HPV em pacientes com câncer de garganta, até uma taxa de infecção de 79% nos pacientes com tumores.
"A infecção pelo HPV, especialmente pelo tipo HPV-16, de alto risco, foi apontado como significativamente associado ao risco de carcinoma de células escamosas de laringe", escreveu o coordenador do estudo, Xinagwei Li, da Academia Chinesa de Ciências Médicas e da Faculdade Médica da Universidade de Pequim.
Além de reverem os estudos, os pesquisadores analisaram também 12 trabalhos que comparavam tecidos cancerosos e não-cancerosos em um total de 630 pacientes. Eles concluíram que os tecidos cancerosos de garganta tinham 5,4 vezes a chance de dar positivo para um exame de HPV, em relação ao tecido não-canceroso.
"Estamos descobrindo que o HPV parece estar ligado a vários carcinomas de células escamosas da cabeça, pescoço e garganta", disse William Mendenhall, oncologista especializado em radioterapia, da Universidade da Flórida, em Gainesville, que não participou do estudo.

Veja o texto na íntegra: http://www.estadao.com.br/noticias/geral,estudo-associa-hpv-a-cancer-de-garganta,968525,0.htm